Mulher que se separa em virtude do trabalho excessivo tem direito a indenização

Empresa que obriga empregado a trabalhar carga excessiva de trabalho com o consequente comprometimento do plano de vida do funcionário está obrigada a pagar indenização decorrente do chamado dano existencial.

No caso a funcionária mulher comprovou que a carga excessiva em seu trabalho levou seu casamento a separação, obtendo, portanto, uma indenização de 20 mil.

Comentário:

Não é de hoje que as empresas carecem de um planejamento mais adequado em relação a este tema. De fato, nos próximos anos haverá um aumento das indenizações decorrentes do dano existencial, o que trará mais riscos para as empresas. De certo, que investir na qualidade de vida dos colaboradores deixou de ser apenas uma frase bonita, o que exige mais atenção dos empregadores neste assunto.” 

Em caso de dúvidas entre em contato conosco.